ADVOGADO DE CAMBÉ É ACUSADO DE PRECONCEITO

OAB do Maranhão abriu processo para investigar jovem, que teria postado declarações contra nordestinos
Londrina – Três mil quilômetros distante do epicentro de uma grande polêmica que mobilizou a opinião pública e as entidades ligadas ao Direito em São Luís, capital do Maranhão, um servidor municipal de 57 anos, morador de Cambé (Região Metropolitana de Londrina), ainda tenta entender o episódio que ameaça comprometer o sonho do filho, para ele apenas um advogado que estuda incansavelmente para realizar o sonho de se tornar juiz de Direito. "Eu ainda tenho dúvidas que foi ele. Pode ter sido um hacker, alguém que invadiu a página dele", pondera. "Mas se foi realmente ele, eu diria que cometeu uma tremenda burrice", afirmou o pai, que preferiu não se identificar. "Se for confirmado, só posso dizer que ele deve assumir este ato e arcar com as consequências", observou. O servidor se refere ao caso em que o filho Gustavo Zanelli Ferreira é acusado de racismo e preconceito contra nordestinos. 

Ontem à tarde, a casa estava com as janelas fechadas e parecia estar vazia. Dois carros estavam na garagem. A família aparentava estar reclusa. O advogado Gustavo, garante o pai, ainda está no Maranhão, onde faz um cursinho preparatório visando um concurso público da magistratura. 

Semana que vem ele deve ser convocado pela Ordem dos Advogados do Brasil, seção do Maranhão, para prestar esclarecimento sobre o teor de algumas postagens feitas no Facebook. O perfil foi retirado do ar na quinta-feira. As declarações foram feitas entre os dias 7 e 12 deste mês. "Ele é um rapaz inexperiente. Saiu pouco, viajou pouco. Sempre dedicou quase todo o tempo que tinha para estudar", defende o pai. 

Ferreira, 29 anos, aprovado no exame da ordem em 2009 pela subseção Londrina, cidade onde ele frequentou a escola de Direito, é acusado de racismo e preconceito contra nordestinos por frases como: "Quando eu digo que o Brasil não vai para frente em razão do nordeste vocês ficam nervosos, mas infelizmente é assim. Eu nessa minha vinda para cá, tento constantemente ver alguma qualidade nesse povo, mas vejo que de fato é impossível infelizmente". Ou: "Se houvesse essa possibilidade eu seria o primeiro a dar início a uma guera para a devida separação", disparou, fazendo apologia à secessão, uma proposta que ele mesmo reconhece como inconstitucional. 

Valdenio Caminha, vice-presidente da OAB/MA, afirmou que a abertura de um processo de investigação por racismo na entidade é inédito. Ele disse que vai informar o caso à OAB paranaense, que também deve acompanhar a apuração do caso. Segundo ele, o processo será sigiloso. "Ele poderá ter o registro suspenso ou até mesmo excluído dos quadros da OAB", informou. 

O caso mobiliza as autoridades de direito do Maranhão. No site do MP daquele estado, um texto informa que a procuradora-geral de Justiça, Regina Lúcia de Almeida Rocha, encaminhou duas manifestações contra o advogado. Uma notícia-crime à Procuradoria da República do Maranhão e uma representação na OAB. Na notícia-crime, a procuradora tomou como base a lei 7.716/89, que considera crime quem "praticar, induzir ou incitar a discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional". A pena prevista é de dois a cinco anos de reclusão mais multa. Conforme a procuradora informou ao site, "compete à Justiça Federal processar e julgar o feito, eis que trata do cometimento de delito por meio eletrônico que se refere às infrações previstas em tratados ou convenções internacionais, cujo acesso se dá além das fronteiras do território nacional", argumentou. 

Na representação junto à OAB, ela observa que o advogado violou o Código de Ética e Disciplina inserido no Estatuto da Advocacia. "O representado violou seus deveres éticos e disciplinares, ofendendo a toda a coletividade da localidade em que atua profissionalmente e perpetrando, em tese, infração penal a merecer a devida apuração e responsabilização". 


fonte:Folha de Londrina                                                                                                            

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!